Último dia da I Semana do Curso de Jornalismo aborda Intercom e Intercâmbios


Por Lavignea Witt

 

O último dia da I Semana do Curso de Jornalismo da Universidade Franciscana, sexta-feira, 30, foi marcado pelo debate sobre pesquisa e apresentações de trabalhos  em eventos de comunicação, em um primeiro momento, e os intercâmbios feitos pelos alunos do curso. As alunas Ariadne Marin, Luiza Rorato e Caroline Comassetto começaram contando sobre as suas experiências no Intercom Sul.

Último dia da I Semana do Curso de Jornalismo da UFN. Foto: Allysson Marafiga.

O evento é um espaço onde estudantes de graduação em Comunicação, recém graduados e demais pesquisadores da área apresentam trabalhos como: pesquisas derivadas de projetos de iniciação científica, de trabalhos de conclusão de curso (TCC), discussões teórico-práticas oriundas de ações de extensão e artigos finais de disciplinas cursadas na graduação, entre outras. Há possibilidade de participar duas vezes ao ano, no Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom) e nos congressos regionais da entidade. Este ano, o Intercom da região sul ocorreu entre os dias 20 e 22 de junho, na Uniritter, em Porto Alegre.

Luiza Rorato e Caroline Comassetto foram as primeiras a relatar a sua experiência no congresso deste ano. As alunas não apresentaram trabalho, mas compareceram para garantir a experiência do evento. Segundo elas, foi uma grande oportunidade de adquirir ainda mais conhecimentos na área da comunicação, e puderam receber e compartilhar saberes e experiências nesse campo. ”As salas onde acontecem as apresentações dos trabalhos é a melhor parte, por toda a interação que é gerada com alunos e professores”, contou Caroline.

Ariadne Marin, Caroline Comassetto e Luiza Rorato contando sobre suas experiências no Intercom Sul. Foto: Allysson Marafiga.

Outra acadêmica a garantir sua participação foi Ariadne Marin. Ela apresentou seu artigo ”Animais Silvestres: as notícias de tráfico no Brasil”, que produziu com sua colega Bibiana Rigão — que não pode comparecer ao evento. A aluna revela que o tema do seu trabalho foi uma supresa aos presentes no congresso, por não ser um tema muito abordado na área do jornalismo. ”Eu gostei muito dos temas de todos os trabalhos, e muitos ficaram surpresos com o tema do meu. Acredito que o Jornalismo Ambiental deva ser mais tratado tanto em sala de aula como fora”, argumenta Ariadne. 

As acadêmicas ainda falaram sobre a troca de informações com pessoas de outros cursos do estado que, segundo elas, foi uma das melhores partes do congresso.

Para fechar o último dia, os alunos Luisa Peixoto, Flora Quinhones, Mariama Granez e Gianmarco de Vargas foram os convidados para falar sobre seus intercâmbios. A decisão de fazer a viagem, o processo anterior, as experiências e o retorno foram os temas mais abordados pelos ex- intercambistas. Luisa e Flora, que fizeram sua viagem por meio da Mobilidade Acadêmica Internacional da instituição, para Portugal, na mesma época, foram as primeiras a compartilhar suas experiências. O Instituto Politécnico do Porto foi a escolha de Luisa para fazer o curso de ‘multimedia’. Já Flora optou pela Universidade da Beira Interior, em Covilhã, onde cursou 5 matérias. As alunas contaram sobre seus primeiros meses no país estrangeiro, em como era difícil o contato com os portugueses, e como foi se acostumar com a nova rotina. Porém, a bagagem de estudos e viagens pela Europa nunca será esquecido, contam. ”Sempre foi meu sonho fazer intercâmbio, e eu consegui. Não existem barreiras, é só querer”, destaca Flora.

Gianmarco de Vargas, Mariama Granez, Profº Carlos Badke, Flora Quinhones e Luisa Peixoto debatendo sobre seus intercâmbios. Foto: Allysson Marafiga.

Já Mariama e Gianmarco escolheram o país norte-americano, Canadá, como destino para suas viagens de estudos. Ambos ficaram durante um mês na cidade de Vancouver, Mariama fazendo um curso de línguas na Language Across Borders (LAB) e Gianmarco estudando em um dos cursos de verão — na área do Jornalismo — da University of British Columbia (UBC). Os dois contam que o interesse por fazer intercâmbio é de longa data, e que, com muita dedicação, conseguiram realizar esse sonho. Para Mariama e Gianmarco, a maior dificuldade era a questão da alimentação, mas contam que o país é muito hospitaleiro e oferece paisagens muito bonitas para se visitar.

Quando questionados sobre qual a melhor lembrança que levarão desta experiência, a resposta foi sobre os lugares incríveis que visitaram e as pessoas com as quais construíram um laço de amizade.

Deixe um comentário

Adicione o seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar estes comentários (assinar) via RSS.

Seu e-mail nunca será divulgado, nem compartilhado. Os campos obrigatórios estão marcados com *