Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

Retratos de família em exposição na sala Angelita Stefani, Unifra.

Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.

A Sala de Exposição Angelita Stefani, do Centro Universitário Franciscano, recebe na quarta-feira, 18 de setembro, a exposição “Traços Cores Expressões”,  fazendo referência aos pintores Claudio Carriconde, Eduardo Trevisan e Juan Amoretti, e às suas obras retratadas à óleo.

Acervos de família e instituições são retratados na mostra. As peças revelam traços, expressões e cores singulares de cada artista e são, em sua maioria, datadas dos anos 70 e 80.

Curadora Ceres ZassoZago foi a responsável pela garimpagem das obras. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.

Segundo a curadora, professora Ceres Zasso Zago, as pessoas retratadas são santa-marienses e do convívio dos pintores que, por razão de ascendência familiar, queriam deixar registrada a representação da família para seus posteriores.

A professora afirmou que foi necessário esforço e muito cuidado na produção da exposição. “Eu não chamaria de curadoria. Eu chamaria de garimpagem. Fui casa por casa atrás dessas obras, e algumas das pessoas só emprestaram os quadros porque me conheciam”, comenta.

A exposição tem como objetivo retomar o valor da família em sua essência. “É o resgate da vida em família, daquilo que podemos guardar. O que vai sobrar da família é o que cultuam, o que gostam, portanto, essas relíquias guardarão a memória por toda a vida”, diz a curadora.

A abertura, às 17:30h, contará com a presença das pessoas ilustradas nas obras. A exposição vai até o dia 9 de outubro e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 14 às 18h, com horários alternativos na segunda-feira, das 9 às 11:30h, e quarta e quinta-feira, das 18 às 21h.

Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.
Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.
Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.

LEIA TAMBÉM

Uma resposta

  1. Boa tarde, estava eu aqui sentada em frente ao computador, e por alguma razão me veio à mente a sala de exposição “Claudio Carriconde”,onde fui bolsista por algum tempo, e logo voltei a mente para uma das melhores fases da minha vida…a vida acadêmica! Imediatamente procurei no google a “tal sala”, e pra minha surpresa e alegria encontrei uma pessoa que marcou a minha história: a Professora Ceres! Que como diriam as crianças da Escolinha de Artes a Tia “Séries”. Certamente essa grande pessoa, não lembra mais de mim, porque afinal já se passaram 20 anos, mas eu lembro muito bem dela…tive o prazer de trabalhar com ela como bolsista na Escolinha de Artes…fui da época em que juntamente com as crianças construímos o boneco ” LICA” (Laboratório de Iniciação e Criatividades em Artes)…foi maravilhoso! E confesso que esse momento em que escrevo essas palavras estou revivendo momentos incríveis que pareciam apagados de minha memória… Não sei se alguém vai ler isso, mas já valeu só pelas lembranças de ter voltado 20 anos no tempo. Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.

A Sala de Exposição Angelita Stefani, do Centro Universitário Franciscano, recebe na quarta-feira, 18 de setembro, a exposição “Traços Cores Expressões”,  fazendo referência aos pintores Claudio Carriconde, Eduardo Trevisan e Juan Amoretti, e às suas obras retratadas à óleo.

Acervos de família e instituições são retratados na mostra. As peças revelam traços, expressões e cores singulares de cada artista e são, em sua maioria, datadas dos anos 70 e 80.

Curadora Ceres ZassoZago foi a responsável pela garimpagem das obras. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.

Segundo a curadora, professora Ceres Zasso Zago, as pessoas retratadas são santa-marienses e do convívio dos pintores que, por razão de ascendência familiar, queriam deixar registrada a representação da família para seus posteriores.

A professora afirmou que foi necessário esforço e muito cuidado na produção da exposição. “Eu não chamaria de curadoria. Eu chamaria de garimpagem. Fui casa por casa atrás dessas obras, e algumas das pessoas só emprestaram os quadros porque me conheciam”, comenta.

A exposição tem como objetivo retomar o valor da família em sua essência. “É o resgate da vida em família, daquilo que podemos guardar. O que vai sobrar da família é o que cultuam, o que gostam, portanto, essas relíquias guardarão a memória por toda a vida”, diz a curadora.

A abertura, às 17:30h, contará com a presença das pessoas ilustradas nas obras. A exposição vai até o dia 9 de outubro e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 14 às 18h, com horários alternativos na segunda-feira, das 9 às 11:30h, e quarta e quinta-feira, das 18 às 21h.

Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.
Exposição Traços Cores Expressões. Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.
Foto: Vitor Mirailh. Laboratório de Fotografia e Memória.