Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

TODAS AS PUBLICAÇÕES DE:

Rubens Miola Filho

Rubens Miola Filho

Raquel de Souza é uma artista de rua que encontra inspiração e trabalho nas ruas.

Foto: Arquivo Lab Seis

Quantas vezes você já parou para observar ou conversar com um ou uma artista de rua? O quinto episódio do Provoc[A]rte traz Raquel de Souza, que tem a rua como seu local de inspiração e de trabalho. Em contraposição à correria das ruas, a conversa flui pelos caminhos da calmaria e da profundidade que o fazer arte de rua carrega.

O Provoc[A]rte vai ao ar na terça-feira (09), às 19h, com reprise às 22h, na UFN TV, pelo canal 15 da NET, no sábado, às 19h, e no domingo, às 19h30min. E também pode ser visto na TV Câmara, canal aberto 18.2, na sexta-feira, às 21h, e sábado, a partir das 19h. Acompanhe a temporada Que Arte é Essa? na íntegra! Ao todo, serão 8 episódios. 

Quinta temporada do programa questiona o status de arte com a vida humana e suas subjetividades.

Foto: Arquivo Lab Seis

Que Arte é Essa? é o tema da quinta temporada do programa que busca inspiração em atividades e práticas que chamamos de arte, mas cujo status de Arte – essa com A maiúsculo, pode ser questionado. Busca refletir sobre fazeres diversos e imbricados com a vida humana e suas distintas subjetividades. O programa é produzido pelo Lab Seis, laboratório de produção audiovisual dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Universidade Franciscana (UFN) e disponibilizado no canal do YouTube da UFNT TV e do Lab Seis. A equipe é formada por Beatriz Ardenghi e Petrius Dias no roteiro e apresentação, João Pedro Ribas na direção de arte e na divulgação nas redes sociais, Raphael Sidrim na edição, Alexsandro Pedrollo na gravação, Jonathan de Souza na finalização, e coordenação e direção da professora Neli Mombelli.

Texto: Neli Mombelli

Voluntárias da Sobre Nós foram às ruas em defesa da dignidade menstrual
Foto: Arquivo Sobre Nós

Estamos em 2023, e falar sobre menstruação ainda é um assunto considerado tabu e que deixa muitas pessoas desconfortáveis ao ser comentado. Imagine o seguinte cenário: você é uma mulher, está fora de casa e de repente a menstruação desce, você não tem um tostão no bolso para comprar um absorvente, o que você faz? Talvez essa simulação eventualmente possa ter acontecido com muitas mulheres, mas e quando essa realidade é corriqueira?

Em Santa Maria, uma ONG chamada Sobre Nós tem como objetivo evitar que esse tipo de situação aconteça. O projeto tem como objetivo promover a saúde menstrual e a igualdade de gênero por meio de ações e projetos que visam garantir o acesso a produtos de higiene íntima, informação e apoio psicológico para mulheres e pessoas que menstruam e que estejam em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O trabalho é desenvolvido em Santa Maria e em alguns outros estados do país. 

O Sobre Nós realiza suas ações mensais com base em doações e contando com a colaboração de pessoas que se interessam pela causa. Foto: Arquivo Sobre Nós

Taís Fleck, que exerce o cargo de coordenadora na filial de Santa Maria e atua na coordenação nacional, explica que “a partir do momento que a pessoa do gênero feminino não tem produtos básicos para conter o sangue menstrual, ela tem uma desigualdade em uma necessidade fisiológica básica. Então, fornecer itens básicos de higiene feminina pode contribuir para a promoção da igualdade entre os gêneros, classes e raças.” 


Atualmente, a ONG atende em três bairros de Santa Maria: Cerrito, Vila Renascença e Vila Brenner. O grupo atua na cidade de maneira consistente desde setembro de 2020. Os produtos oferecidos compõem um kit de higiene menstrual, que inclui um pacote com 16 unidades de absorventes, um rolo de papel higiênico e um sabonete.

No dia 25/03 houve distribuição de kits e uma roda de conversa sobre saúde sexual, acompanhada por uma lembrança para cada mulher. Foto: Arquivo Sobre Nós

Jocelaine Rodrigues, de 44 anos, moradora da Vila Brenner, recebeu o auxílio do grupo e hoje faz parte do projeto, ajudando na distribuição e disponibilização da sua casa para serem realizadas as entregas. Ela relata que, desde que a ONG começou a atuar no bairro, houve um aumento da dignidade das pessoas, pois há muitos residentes em situação de necessidade. “Com a ajuda do grupo, dá para perceber que as pessoas estão mais felizes e buscando se informar mais sobre o tema. Eu gosto de ajudar as meninas, porque acredito que esse projeto não pode parar, espero que ele se expanda para outras regiões da cidade, pois a necessidade de diálogo é muito importante em locais de vulnerabilidade social”, afirma ela.

No dia oito de março deste ano, foi assinado o Projeto de Lei de Dignidade Menstrual, liderado pela vereadora Marina Callegaro (PT), na Câmara de Vereadores. A lei prevê medidas para garantir o acesso gratuito a produtos de higiene menstrual em escolas, postos de saúde, abrigos e presídios municipais. Taís explica que a aprovação da lei significa que este é um problema que o estado, em tese, deveria resolver e que é uma pauta importante de ser debatida, o que torna a dignidade menstrual um fator relevante. No entanto, ainda há alguns desafios sobre a questão da lei estar sendo aplicada efetivamente: “enquanto não existir uma execução correta da lei e fornecimento de itens menstruais corretos, o Sobre Nós acaba suprindo essa demanda. Então, até possuir uma forte rede de distribuição, nós vamos nos manter nessa frente. Essa é uma perspectiva que talvez leve um tempo ainda para ser executada de maneira efetiva, mas idealizamos que, futuramente,  todas as pessoas que menstruam tenham acesso a esses itens ”

As voluntárias do Sobre Nós participaram da assinatura do Projeto de Lei de Dignidade Menstrual.
Foto: Arquivo Sobre Nós

A ONG sobre nós atua de maneira nacional em sete estados do Brasil, e a expectativa para o futuro é que essa atuação seja de maneira efetiva em todos os 26 estados. Em Santa Maria, a expectativa é aumentar ainda mais o número de regiões onde atua o projeto. Segundo Taís, até o final do ano a expectativa é de aumentar essa atuação em dois locais, a Aldeias SOS e a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC). Para que essa ação seja consolidada, a ONG depende de doações, voluntários e pessoas que se interessem em participar desta causa. Para doar para o Sobre Nós de Santa Maria basta acessar ao instagram @sobrenos_brasil, clicar no link da bio (linktr.ee/sobrenosbrasil), e doar um valor que pode ser o estabelecido para a compra de kits de higiene menstrual ou um valor personalizado. 

Alunos do 2º ano do ensino médio do Colégio Sant’Anna tiveram uma tarde diferente nesta quinta-feira (13). Eles fizeram uma visita aos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda da Universidade Franciscana (UFN).

Os alunos visitaram a Agência Central Sul Notícias e receberam orientações sobre as atividades e práticas desenvolvidas no curso de Jornalismo.
Foto: Júlia Buttignol

O objetivo da visita foi conhecer um pouco mais sobre as áreas para estarem aptos a escolherem os cursos que desejam fazer no futuro. Os alunos fazem parte dos itinerários formativos do Ensino Médio do Colégio Sant’Anna, e solicitaram apoio da UFN para desenvolver atividades que compõem essa agenda.

Ao longo do semestre, os estudantes estão visitando diferentes cursos da UFN e participando de práticas laboratoriais e palestras com os professores e alunos dos cursos. Ao todo, cerca de 60 alunos estão participando das atividades, divididos em grupos.

Os alunos visitaram o laboratório de televisão para conhecer os equipamentos e tecnologias utilizados na produção diária.

Foto: Júlia Buttignol

Além dos cursos de PP e Jornalismo, os alunos também estão fazendo visitas aos cursos de Direito, Psicologia, Fisioterapia, História, Engenharia Biomédica, Engenharia Química, Arquitetura, Design, Farmácia e Biomedicina.

Essa iniciativa do Colégio Sant’Anna em parceria com a UFN visa oferecer aos alunos a oportunidade de conhecerem diferentes áreas de atuação antes de decidirem qual curso desejam seguir no futuro. Com isso, eles poderão fazer escolhas mais informadas e conscientes sobre o seu futuro acadêmico e profissional.

Nos dias seis e sete de abril são celebrados os dias mundiais da atividade física e da saúde, respectivamente. As datas têm como objetivo conscientizar as pessoas sobre a importância de manter hábitos saudáveis e de praticar exercícios físicos regularmente.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que a saúde não é apenas a ausência de doenças, mas um estado de completo bem-estar físico, mental e social. João Gabriel Gomes, professor de educação física e personal, conta que deixa claro para o aluno, desde o primeiro dia, a importância de hábitos saudáveis, como alimentação balanceada, qualidade do sono e saúde mental, independente do objetivo. “Esses hábitos influenciam a qualidade de vida das pessoas e são importantes aliados para quem busca resultados com a atividade física.”, relata.

O Dia Mundial da Atividade Física, por sua vez, tem como objetivo incentivar as pessoas a praticarem exercícios físicos regularmente, independentemente da idade ou condição física. Em Santa Maria, o Serviço Social do Comércio (SESC), tem um programa que se chama Maturidade Atividade, projeto que é um serviço social destinado às pessoas com 50 anos ou mais. O programa  funciona como um grupo de convivência entre as pessoas, com momentos de planejamento, oficinas, palestras, eventos, viagens com intuito educativo, ação, atividades físicas e campanhas sociais. Segundo o  Auxiliar de Cultura e Lazer do Sesc, Maique Argenta Ribeiro, datas como o Dia Mundial da Saúde e o Dia Mundial da Atividade Física são importantes para “relembrarmos às pessoas que o cuidado com a saúde deve ser permanente, diário e no sentido de prevenção. Dar ênfase a essas datas ajuda a acender um alerta de autocuidado, principalmente para quem não se cuida muito.”

Os jogos de Câmbio são realizados todas às terças e quintas às 09h15 no SESC em Santa Maria

Foto: reprodução arquivo SESC

Para Rosemeri Paim, de 55 anos, participante do programa Maturidade Ativa, o programa é importante pois, além de ser uma forma de interação com outras pessoas, atividades como o câmbio (voleibol adaptado para pessoas idosas) promovem bem-estar e amizade, além de incentivar que todas as pessoas pratiquem exercícios, independente da idade. “Eu sempre fiz atividade física. Além do câmbio, eu faço musculação na academia do SESC. A atividade ajuda a manter minha saúde mental e física em dia”, afirma Rosemeri. Ela ainda relata que possui artrite reumatoide, no entanto, isso não a impede de competir nos campeonatos promovidos pelo SESC da categoria câmbio, onde, no ano passado, o grupo ficou em terceiro lugar. “Hoje eu sinto que posso realizar tudo que quiser, a idade só está nos números. Não existe terceira idade, existe a melhor a idade” conclui.

A 23° edição do Festival traz novidades para o público, uma delas é que o festival será em formato híbrido, tanto digital como presencial. A transmissão irá ocorrer na Box Brazil Play. “A segunda novidade, é que nesse ano o evento vai ocorrer em lugares diferentes no centro de Gramado. Visando ocupar mais espaço para produzir uma programação mais rica”, afirma Alexandre Felix, assessor de imprensa do Festival. 

Em 2022, a influenciadora  Bianca Andrade (Boca Rosa) foi uma das principais atrações do festival. Imagem do banco de dados do Festival.

Criado em 1976, com diversas oficinas para o ramo da Publicidade e Propaganda, o Festival tem como objetivo gerar uma troca de informações sobre as atualizações dentro da publicidade, trazer especialistas que estão participando de fóruns internacionais e encontros com influenciadores digitais. É o terceiro maior evento da área, no mundo, em número de participantes, e o maior na América Latina. No festival deste ano, são esperados mais de 1500 espectadores, 40 especialistas e palestrantes, entre eles estão:  Edu Simon — CEO do Conar, Gabi Lopes — Atriz e Influenciadora, Flávio Santos — CEO da Mfield, Beatrice Jordão — Gerente Sênior de Marketing da Heineken.

Como participar?

O evento é aberto para todos os públicos e quem quiser participar basta acessar o site oficial  do festival www.festivalgramado.com.br e escolher entre os três lotes disponíveis. Para João Lucas Oliveira, embaixador do festival e estudante de jornalismo, a importância do evento é: “Poder aprender e adquirir conhecimento com grandes nomes. Nomes esses que são de referência no mercado publicitário, no meio jornalístico e também de gestão. É algo que eu definiria como uma oportunidade única.”  

Serão três dias de evento e os alunos da Universidade Franciscana (UFN)  que tiverem interesse em participar terão descontos, podendo chegar a 50%, dependendo do número de interessados. Também está sendo organizado transporte para que todo o grupo da UFN possa ir junto.

Em 2022, o evento voltou a ocorrer após cinco anos em hiato. Imagem do banco de dados do Festival

Quais as expectativas de quem vai?

Para a estudante Júlia Dutra, do 5° semestre do curso de Publicidade e Propaganda, da UFN, essa vai ser a primeira vez que ela comparece ao Festival. “Busco tentar absorver tudo possível de todos os palestrantes. Além de ter a oportunidade de conversar com eles pra ter essa visão de como tudo funciona na prática e não só na teoria” relata.
Como o Festival incentiva o encontro de influenciadores digitais com o seu público, Júlia relata que: “as grandes influências me chamam muita atenção pelas áreas que atuam e por elas mesmas. Gabi Lopes é uma influenciadora que acompanho há bastante tempo, fiquei muito interessada pra saber o que ela tem a dizer”.

Ambiente sendo preparado para receber os estudantes. Imagem: Luiza Silveira

A tradicional festa dos calouros esse ano está diferente. Pela primeira vez ela ocorre na Gare da Estação Férrea de Santa Maria. A transferência do local tem o intuito de evitar transtornos à vizinhança e sediar o encontro em um ambiente mais adequado. 

Em 17 de janeiro de 2023, uma comissão especial de vereadores discutiu a troca do local, e o espaço escolhido foi a Gare. A comissão, na época, foi formada pelos parlamentares Rudys Rodrigues, Pablo Pacheco e Marina Callegaro e foram realizadas reuniões com diversas entidades ligadas à festa dos bixos, como: DCE da UFSM, Prefeitura, Brigada Militar e comerciantes.

No dia 20 de janeiro, três dias após o começo das discussões, o prefeito Jorge Pozzobom, confirmou que a festa da calourada seria transferida para Gare. A decisão gerou debates nas redes sociais, e muitos estudantes não concordaram com a decisão, alegando que o local escolhido é perigoso, longe e que é um desincentivo da Prefeitura para reduzir o número de estudantes nessa festividade.

Fizemos uma enquete com alunos da UFN, UFSM e público geral, com os pontos mais debatidos sobre a festa.

Instituição de ensino

Gráfico de respostas do Formulários Google. Título da pergunta: 1 - Qual sua instituição de ensino? . Número de respostas: 80 respostas.

A grande maioria das interações foram de alunos da UFN, totalizando 44. O segundo maior número de interações foram com alunos da UFSM, que totalizaram 29. Outras universidades tiveram o total de 8 votos e nenhuma instituição 5.

Nível de satisfação

Gráfico de respostas do Formulários Google. Título da pergunta:  2 - Qual seu nível de satisfação com essa troca? . Número de respostas: 80 respostas.

Como podemos observar nos gráficos, o público, de maneira geral, não ficou contente com a decisão. Das 86 pessoas que responderam, 42 demonstram insatisfação com a troca, 31 disseram que é indiferente e apenas 13 acharam a troca satisfatória.

Debates sobre o tema

Gráfico de respostas do Formulários Google. Título da pergunta:  3 - Você acha que houve debates com quem participa do encontro sobre essa troca?
. Número de respostas: 86 respostas.

Na pergunta três temos a maior discrepância entre os resultados. 59 dos entrevistados constataram que não houve debate com o público que de fato comparece ao evento. Cerca de 18 não souberam responder com exatidão. Nove pessoas acreditam que houve sim debates sobre o tema.

Segurança

Gráfico de respostas do Formulários Google. Título da pergunta:  4 - O que você acha da segurança do local?. Número de respostas: 80 respostas.

Nossa enquete constata que apenas 2  dos 86 votantes considera o local muito seguro e 11 consideram seguro, ou seja, apenas 15,1% das pessoas se sentem seguras no novo local. 20 entrevistados não tem conhecimento. E os números mais altos foram de insegurança e muita insegurança, totalizando 26 e 27, respectivamente, que ao todo somam 61,4% dos questionados sentindo-se inseguros.

E os comparecimentos?

Gráfico de respostas do Formulários Google. Título da pergunta:  5 - Você pretende comparecer? . Número de respostas: 80 respostas.

Essa foi a pergunta mais equilibrada da enquete. 27 pessoas informaram que vão comparecer ao evento, independente da troca. 28 informaram que ainda não sabem se vão comparecer. E 33 (quase 10% a mais do número de pessoas que pretendem comparecer) informam que não irão à calourada. 

Espaço aberto para opiniões

Esse tópico refletiu um dos pontos principais nas redes sociais: a insegurança. Para essa enquete, não solicitamos nome, gênero, idade, etc, a fim de fazer com que as pessoas interagissem sem medo e podendo se expressar da maneira que se sentissem  melhor.  Aqui vamos citar alguns exemplos que nos chamaram atenção, com opiniões diversas sobre  o tema.

Teve fala sobre elitismo:

Elogios:

Dúvidas:

Expectativas:

Confiança:

O que os estudantes acham dessa troca?

Praça Saturnino de Brito, local onde o evento era antigamente sediado. Imagem: Luiza Silveira

Maria Eduarda Rossato, do 2° semestre de Jornalismo, da UFN diz que “Não pretendo participar. Apesar de ter transporte público gratuito na ida e volta, ainda acho muito longe para quem gostaria de ir a pé ou com 99/Uber em outro horário”, relata.

Conforme Julia Buttignol, estudante do 5º semestre de Publicidade e Propaganda da UFN, “eu pretendo ir para ver como vai ser, mas confesso que estou com um pé atrás. Inicialmente eu não achei a ideia muito legal. Eu não conheço o lugar, mas eu ouvi que teve uma grande verba para a segurança, então espero que cumpram com o que é esperado neste quesito”. 

Julia ainda constata algumas soluções que a Prefeitura e os órgãos envolvidos poderiam ter tomado de diferente para que essa troca fosse menos polêmica “ter uma conversa de fato com os estudantes. Perguntar o que eles achavam, o que eles concordavam ou não. Inclusive, quinta-feira (16) o DCE da UFSM (Diretório Central dos Estudantes) publicou no Instagram um pedido de desculpas, pelo fato de não terem pego a opinião dos estudantes. A intenção deles era das melhores, mas em algum momento se perdeu”, encerra.

Novo formato, transporte, segurança e atrações.

A Prefeitura de Santa Maria, com o novo local, pretende fazer um evento como jamais foi visto nos anos anteriores. Com uma repaginada na Calourada Segura, estima-se que o evento vá custar R $430 mil aos cofres públicos da cidade, segundo o Diário de Santa Maria. Serão 52 banheiros químicos, tendas, lonas e grades de contenção, além da execução de Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios (PPCI), com extintores e placas.

Transporte

Estão previstas linhas especiais gratuitas de ônibus para os dias do evento. As viagens de ida começam às 18h saindo da UFSM e às 20h saindo da UFN. Para a volta, os ônibus começam a sair a partir das 23h30, com uma linha direta para UFSM e outra no centro, passando pelas principais vias.

Segurança

A segurança do evento irá contar com o apoio do 1º Regimento; do 2º Batalhão de Polícia de Choque, juntamente com o Comando Regional de Polícia Ostensiva Central (CRPO-C); o Batalhão de Aviação da Brigada Militar, além do contingente do 4º Regimento de Polícia Montada da Brigada Militar e o Batalhão de Operações Especiais (Bope). Serão mais de 100 policiais para manter a segurança das 10 mil pessoas esperadas no local. Além da segurança reforçada, a Polícia Militar irá contar com duas Plataformas de Observação Integrada (POE) com 16 câmeras cada, além das câmeras do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Além disso, um drone irá sobrevoar o local a fim de ser um olho noturno para manter a segurança dos estudantes.

Atrações

Uma das maiores apostas da prefeitura e algo visto com bons olhos pela maioria dos estudantes, foi o novo formato com atrações musicais no novo local. Estão confirmadas 25 atrações nacionais e regionais para fazer parte da festa, entre elas estão: DJ Rennan da Penha, Sandro e Cícero, SambaMove e Comunidade Nin-Jitsu.

Para Júlia, foi uma das únicas formas que a prefeitura encontrou de fazer com que os estudantes comparecessem ao local “eu acho que eles devem ter pensado “como vamos fazer os estudantes comparecerem na Gare, já que o local sempre foi no Brahma? Então toma aqui atrações que vocês gostam” Eu acho que o pessoal faz um som legal, e o DJ Rennan da Penha, foi o ponto principal de fazer com que as pessoas participassem.” conclui a estudante.

Perspectivas futuras

A Praça Saturnino de Brito será mantida fechada durante a semana no período da noite. Imagem: Luiza Silveira

Apesar de muitos estudantes ainda terem a esperança de participar do evento na Praça Saturnino de Brito, ela foi fechada na manhã desta segunda-feira (20) pela Prefeitura de Santa Maria, indicando que o futuro do evento será de fato na Gare. O espaço permitirá o trânsito durante o dia. Entretanto, durante a noite, será totalmente bloqueado para evitar aglomerações. Amanda Cardoso, estudante de Psicologia do terceiro semestre da UFSM, afirma que o futuro do evento deve continuar sendo realizado na Viação Férrea, porém com algumas ressalvas “eu acredito que deva continuar na Gare, mas que nos próximos anos vai ter um movimento de voltar para o Brahma, por ser mais perto e melhor localizado. Provavelmente esse evento só será movimentado este ano pois as pessoas querem saber como vai ser. Mas ano que vem tudo pode acontecer e as pessoas podem não estar muito adeptas dependendo da experiência deste ano”, conclui.

Colaborou: Nelson Bofill