Santa Maria, RS (ver mais >>)

Santa Maria, RS, Brazil

curta-metragem

Curtas-metragens produzidos na UFN concorrem ao troféu Vento Norte

Ainda há tempo para assistir os curta metragens que concorrem competem nas mostras Fundação Eny de Curtas-Metragens Brasileiros e Sinprosm de Curtas-Metragens de Santa Maria e Região no 14º Santa Maria Vídeo e Cinema. Eles estão

E se alguém entrasse na sua casa e lhe deixasse bilhetes?

É partir desta provocação que os acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana convidam para o lançamento do curta-metragem Post It. O suspense narra a vida de uma estudante universitária chamada Giovana (Dayana Ferreira). Conforme os dias

Jornalismo UFN: começam as gravações do curta Post-It

Já é tradição. Todos os anos, na disciplina de Cinema II, os acadêmicos do curso de Jornalismo da Universidade Franciscana produzem um curta-metragem. As gravações deste semestre começaram no último sábado, dia 29. No início do semestre, cada um

Curta metragem Blackout é produzido na UFN

Blackout é mais um curta metragem que está sendo produzido pelos alunos do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Franciscana. Com roteiro escrito pelas acadêmicas Thais Trindade, Júlia Medeiros e Gabrielle Simon, o curta faz parte de

Ainda há tempo para assistir os curta metragens que concorrem competem nas mostras Fundação Eny de Curtas-Metragens Brasileiros e Sinprosm de Curtas-Metragens de Santa Maria e Região no 14º Santa Maria Vídeo e Cinema. Eles estão disponíveis no  site www.smvc.com.br até as 23h59min de hoje, sexta-feira, 17, e concorrem nas categorias técnicas e disputam o prêmio do júri popular.

Entre os curtas concorrentes estão seis produções de alunos e ex-alunos da Universidade Franciscana, realizadas nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, e na pós-graduação em Cinema. São eles:

Olhares do Rosário, documentário produzido em 2019 na disciplina de Cinema II do curso de Jornalismo,  e traz os diferentes olhares que refletem a memória e a trajetória do bairro Rosário, dirigido por Gabriele Bordin, Guilherme Superti, Milena Bittencourt e Tiago Teixeira.

Também na disciplina de Cinema II estão os curtas ficcionais A Visita, dirigido por Pietro de Athayde Gonçalves (2019) que narra a visita recebida por uma costureira, de uma velha conhecida e a nora desta, que está para se casar. A dupla contrata a tecelã para confeccionar o vestido do casamento. Por suas diferenças de idade e crença, as mulheres entram em um debate ideológico que permanece em constante empate dada a falta de voz da noiva.

Em ¼ de Memória dirigido por Natália Venturini ( 2019) uma carcereira trava um jogo de estratégia com sua prisioneira. Memórias, traumas e tabus se entrecruzam entre as grades da cela e o tabuleiro de xadrez, enquanto uma busca encontrar a outra para se libertar.

O curta Magnum Opus (Ficção, 2019), dirigido por Argos Miron, foi produzido na disciplina de Produção Audiovisual I, e conta história do artista Thomas que nunca deixou de buscar inspiração, independentemente das suas fontes. Na sua busca por uma cor mais vibrante em suas obras, porque o pigmento vermelho que ele usava não era o ideal para o contraste que buscava, descobre durante um surto, que a cor do sangue vivo era o que faltava para suas obras ficarem completas.

Todos concorrem ao Troféu Vento Norte e foram produzidos com apoio do LabSeis da UFN.

Já a ficção Beira-Mar (2020) dirigido por Pedro Pellegrini, foi produzido no curso de pós-graduação em Cinema da UFN, e traz o dilema de uma garota que  tem o carro quebrado durante uma viagem, e vai se deparar com três estranhos que podem conhecê-la melhor do que ela imagina. Embora as três pessoas tenham personalidades distintas, todas elas têm um aviso em comum: a garota precisa consertar o carro e seguir viagem antes que o dia termine, ou sua vida estará em risco.

A pós-graduação em Cinema traz ainda o documentário Um oito sete, dirigido por Daiana Schneider Vieira (2020) que aborda as desigualdades sociais e econômicas a partir do questionamento “O que você faria com R$ 187,00?”

O SMVC encerra amanhã. Ainda é possível votar nos seus curtas prediletos aqui: https://smvc14.com.br/votos

Vithoria Trentin em cena de Sinais

Em tempos pandêmicos, a adaptação nas formas de realização de aulas foi uma necessidade em todas as esferas da educação. Através de dois curtas-metragens, realizados pelos acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana para a disciplina de Cinema II, sob orientação da professora Neli Mombelli, o espectador é convidado a se conectar ao ambiente virtual de aprendizagem enquanto observa sinais por trás das câmeras.

Os curtas Conexão Restabelecida e Sinais, que abordam dilemas do ensino remoto, serão lançados no dia 17 de agosto de 2021, terça-feira, às 20h,  numa live seguida de bate-papo no canal do YouTube do LabSeis e pelo Facebook do curso de Jornalismo. Os curtas também poderão ser encontrados no Tiktok do Labseis.

A live de lançamento contará  com a presença de Gabriella Eldereti Machado, professora de Ciências da rede pública de Nova Palma, pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Imaginário Social na Universidade Federal de Santa Maria, com estudos na área de gênero e interseccionalidades na educação  e docência; e Vânia Fortes, psicóloga clínica e professora do curso de Psicologia da Universidade Franciscana. Elas debaterão a respeito  de Educação, gênero e violência doméstica: as relações entre público e privado durante a pandemia do novo coronavírus, tema que perpassa as duas produções.

A roteirista e co-diretora do filme Conexão Restabelecida, Nathália Arantes, destaca como surgiu a ideia do curta e suas expectativas para o lançamento: “É uma reflexão do dia a dia sobre se colocar no lugar do outro, de identificar as diferenças que ocorrem e que se acentuaram durante a pandemia.” Ela ressalta que “foram dois dias de gravação com a equipe dividida para evitar aglomeração. Foi tudo pensado para a segurança das questões sanitárias neste momento. E a expectativa após o lançamento é de que as pessoas possam refletir sobre questões sociais e sobre a diferença, sobretudo de que a educação não é igual para todos”.

Já a Lavignea Witt, roteirista e co-diretora do curta Sinais, queria escrever sobre um tema relevante na sociedade: “Através de um exemplo em um vídeo publicitário que tinha visto sobre violência contra a mulher, eu quis relatar o feminicídio. Então, eu escrevi a história como um alerta, para que as pessoas prestem mais atenção aos ‘sinais’ dados por essas mulheres, a fim de ajudá-las”.

Lavignea também menciona sobre a expectativa para o lançamento: “Estamos a semanas na produção dessa obra e eu estou cada vez mais ansiosa para o lançamento. Acredito que estar participando de todos os detalhes de finalização do curta me faz querer vê-lo o quanto antes. E por todo o esforço da equipe, acredito que todos vão gostar do resultado”.

Para produzir os filmes, a turma foi dividida em duas equipes de 10 acadêmicos. Em função da pandemia, a equipe de cada curta ainda se organizou em pequenos grupos durante as diárias em set para que a atividade pudesse  ser realizada com a máxima segurança em função dos protocolos relacionados à covid-19. Além disso, as gravações também ocorreram em formato híbrido no curta Sinais, isto é, duas atrizes foram em locações presenciais e as outras três pessoas do elenco foram em formato remoto.

Bastidores da gravação de Conexão Restabelecida

O elenco do Curta Conexão Restabelecida é composto por Camila Borges, Renata Teixeira e Antonya Garcia . Já o elenco de Sinais conta com Carla Torres, Vithoria Trentin, Lucas Fontana Pereira, Eduardo Biscayno, Walquiria Lerina, e Eduarda Rodrigues, a quem as equipes agradecem imensamente pela disponibilidade e por toparem fazer um filme nas atuais circunstâncias.

Quem for acompanhar o lançamento e o bate-papo pode receber horas de ACC/ACG. Para isso, basta se inscrever no evento pela plataforma do Sympla.

Sinopses:

Conexão Restabelecida

Retrata o cotidiano de Jordana (Renata Teixeira), professora de Português de uma escola pública que, em tempos pandêmicos, se depara com as dificuldades de desempenhar seu trabalho através do formato remoto. Para lidar melhor com essa situação, a professora se aconselha com sua amiga Helena (Camila Borges), professora de escola particular que vivencia uma situação bem diferente no seu dia a dia.

Contatos: Nathália Arantes (roteiro e codireção) 55 99148-8967 e Allysson Marafiga (direção) 55 99626-9764

 Sinais

Com o início da pandemia do novo coronavírus, Luísa (Vithoria Trentin)  precisou se adaptar para acompanhar as aulas da faculdade de modo virtual. Além dessa situação, a estudante precisa lidar com o namorado abusivo com quem divide apartamento.

Contatos: Lavignea Witt  (roteiro e codireção)  55 99954-4818 e Denzel Valiente (direção) 55 99932-4582

As convidadas para o debate da live

Gabriella Eldereti Machado – Química Licenciada, Pedagoga, Mestre em Educação (UFSM) e atualmente doutoranda em Educação (UFSM). Professora de Ciências da rede pública de Nova Palma, pesquisadora no Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Imaginário Social na UFSM, com pesquisas na área de Gênero e interseccionalidades na educação  e docência.

Vânia Fortes de Oliveira – Graduada em Psicologia pela Unijuí. Especialista em Psicologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria. Psicóloga Clínica e Professora do Curso de Psicologia na Universidade Franciscana.

Por Caroline Miranda e Luana Giacomelli, acadêmicas do curso de Jornalismo da UFN

Na última semana iniciaram as gravações do curta-metragem “Sinais”. O projeto está sendo desenvolvido por estudantes da disciplina de Cinema II do curso de Jornalismo da UFN. 

Durante o mês de maio, o grupo se reuniu e desenvolveu remotamente o curta-metragem, para exercitar os conteúdos aprendidos em aula. As gravações estão sendo realizadas em formato híbrido, com três atores em set de filmagens, montados na UFN, e o restante da equipe presente por videochamada. A equipe é composta por dez integrantes, e está sendo dividida em pequenos grupos para acompanhar cada set, intercalando os horários e seguindo os protocolos de segurança. 

 O curta tem roteiro de Lavignea Witt, com direção de Denzel Valiente. Na produção estão Matheus Andrade, Laura Gomes e Ariel Portes, na direção de arte Kauan Costa, Caroline Miranda, Luana Giacomelli e Felipe Monteiro, e Emanuely Guterres na assessoria de comunicação. A produção tem orientação da professora Neli Mombelli e conta com o apoio técnico de Alexsandro Pedrollo na direção de fotografia, Jonathan de Souza na edição e finalização de imagem e Alan Carrion na edição de som. Fazem parte do elenco, Vithoria Trentin, Carla Torres, Eduarda Rodrigues, Eduardo de Prá, Walquíria Lerina e Lucas Pereira. 

 “É uma experiência grandiosa, tendo em vista todos os processos até as gravações. Estar fisicamente presente neste projeto possibilita muito conhecimento, ainda mais vivendo em períodos de distanciamento como esse. Acredito que, como eu, meus colegas também curtiram muito a atividade, com certeza sairemos da disciplina com muito mais gosto pela área do cinema e pelo que ele promove”, comenta Emanuely. 

  “Sinais” retrata uma cena corriqueira da pandemia – as aulas da graduação síncronas no formato online. Contudo, o isolamento, além de modificar rotinas, também expôs algumas pessoas a certos tipos de violência, sobretudo, as domiciliares. O curta alerta que os detalhes de comportamentos podem revelar pedidos de ajuda, que são ainda mais silenciados pelo distanciamento social.

  “A ideia  do tema “violência contra a mulher” surgiu depois que vi um vídeo publicitário em uma rede social sobre o assunto. O vídeo também foi produzido durante a pandemia, só que a mulher conseguiu ajuda de uma amiga quando começou a sofrer violência, e eu quis retratar a versão contrária, que é quando a mulher é violentada e a situação passa despercebida pelas outras pessoas, sem que ela receba nenhuma ajuda e suporte”, relata Lavignea Witt.   “Escrevi o roteiro com a ideia de trazer a realidade dura que é a violência contra a mulher. Muitas mulheres que sofrem com isso não têm assistência nenhuma, e eu acredito que seja por isso que ainda haja altos índices de feminicídio no país. Então eu queria que esse curta servisse de alerta para as pessoas, que se atentem aos sinais dessas mulheres para que elas possam ser ajudadas”, acrescenta a acadêmica de jornalismo e roteirista do curta. 

  A data de lançamento de Sinais está prevista para o dia 16 de Julho. Nesta semana, outra equipe irá rodar o curta-metragem Conexão Restabelecida

Personagens do curta A visita. Foto: Neli Mombelli

Cinco mulheres são as protagonistas das histórias dos curta-metragens rodados pelos alunos de Cinema II do curso de Jornalismo da Universidade Franciscana neste semestre. A visita e 1/4 de memória trazem questões atuais e pontuais que envolvem o universo feminino, mas não se resumem somente a ele.

A visita foi gravado em duas diárias na última semana e traz no elenco Marta Helena Canabarro Ketz, Cler Garcia e Natália Souza. Uma costureira, a Velha, recebe a vista de uma antiga conhecida, a Mãe, e sua futura nora, a Noiva, para fazer o vestido de casamento. Devido às diferenças de gerações e crenças, as duas mulheres mais velhas entram em um debate ideológico que permanece em constante empate, sob o olhar atento da Noiva. O roteiro e a direção são de Pietro Athayde, acadêmico do curso de Jogos Digitais, que faz a disciplina com a turma de Jornalismo. Pietro diz que a história se originou da atualidade, em que há muitas brigas sociais porque não  não há uma aceitação de opiniões diferentes. A equipe ainda conta com mais oito colegas do Jornalismo e uma estudante do curso de Design de Moda. O filme exigiu um intenso trabalho da direção de arte para compor a sala da casa da personagem e os figurinos que buscavam uma característica retrô misturada com elementos do fantástico.

Parte da equipe do curta A visita. Foto Alexsandro Pedrollo

Já o curta 1/4 de memória será rodado na sexta-feira e sábado desta semana. Na história, uma carcereira trava um jogo de estratégia com sua prisioneira. Memórias, traumas e tabus se entrecruzam entre as grades da cela e o tabuleiro de xadrez, enquanto uma busca encontrar a outra para libertar-se. O filme fala de como uma violência velada pode se transformar em uma prisão. O roteiro é de Evelin Bittencourt e a direção de Natália Venturini. Evelin comenta que o curta serve de alerta para as mulheres que sofrem violências que, por vezes, são naturalizadas pela sociedade. Na equipe estão mais 8 colegas do curso em diferentes funções. No elenco estão as irmãs Larissa e Letícia Cronemberger, além de Robson Garcia. Assim como em A visita, o cenário de  1/4 de memória também passa pelo universo do imaginário, já que a prisão em que se passa a história não é convencional. Ainda, os figurinos estão sendo costurados especialmente para a história.

As produções têm a orientação da professora Neli Mombelli e a direção de fotografia de Alexsandro Pedrollo. A disciplina busca introduzir os principais conceitos e funções em uma produção audiovisual desde a concepção do argumento, roteiro artístico, passando pelo pitching, roteiro técnico, pré-produção, produção, pós-produção e circulação de uma obra audiovisual. E para que os curtas sejam viabilizados, diversas empresas e pessoas da comunidade colaboram em forma de apoio cultural, seja fornecendo alimentação, fretes, objetos de cena, figurinos, etc. É uma rede que se forma e permite aos estudantes vivenciarem de fato todas as etapas de produção.

Produção do cenário de “A Visita”. Foto: Denzel Valiente/LABFEM

Na última sexta-feira, 18, os alunos da disciplina de Cinema II da Universidade Franciscana deram início às gravações do curta-metragem “A Visita”.  O curta integra a disciplina ministrada pela professora Neli Mombelli,  e proporciona aos alunos a pesquisa e o desenvolvimento de um curta-metragem que é produzido e finalizado durante o semestre.

O grupo é composto por 10 alunos dos cursos de Jornalismo, Jogos Digitais e Design de Moda, e toda a história foi roteirizada e dirigida pelo acadêmico de Jogos Digitais, Pietro Athayde. O desenvolvimento de produção e as gravação das cenas exigiam três dias inteiros para tudo saísse como o idealizado no roteiro e, por conta disso, o grupo se dividiu para que cada um ficasse responsável por uma parte do projeto. Os alunos foram em buscas de uma casa para que as gravações acontecessem, móveis antigos, atrizes, objetos, figurinos, maquiagem e entre outros.

Ensaio das três personagens. Foto: Denzel Valiente/LABFEM

O enredo do curta-metragem “A Visita” se passa nos anos 70 e relata a história de três mulheres bem distintas em questões de crenças e vontades. Conhecidas apenas por a “Velha”, a “Mãe/Mulher” e a “Noiva”, elas possuem uma ligação de sogra e nora. Em decorrência das grandes diferenças, criam uma relação de diversos atritos que voltam à tona por conta da visita que a “Mãe” faz à “Velha”, apresentando a “Noiva” que irá casar com seu filho. O curta-metragem é totalmente retratado pela imagem destas três mulheres, tentando mostrá-las sem o domínio do “homem” na história.

Retoques finais da sala em que as atrizes iriam contracenar. Foto: Denzel Valiente/LABFEM

O diretor conta que a ideia do curta é trazer a problematização das tomadas de decisões que são retratadas pela personagem da “Mãe” que resolve e escolhe tudo para a “Noiva”  sem muita voz, mas que se torna a protagonista no final da história. Ideia de religiosidade, feminismo e todas as questões sociais que estão presentes no nosso país serão abordadas pelo curta. “A história nasceu dessas brigas sociais que não aceitam as outras opiniões, bem como está acontecendo atualmente”, conclui Pietro.

O curta está programado para ficar pronto até o dia 13 de novembro. Aguarde mais informações sobre o lançamento e acompanhe o instagram do curta-metragem.

 

Denys Schmitt, Gabriel Soares, Pedro Pellegrini, Gabriele Dors, Joana Fernandes e Daiane Bedin na locação externa, na Rua do Radar. Fotos: Beatriz Mazzei

Três curtas-metragens do curso de  Especialização em Cinema da Universidade Franciscana (UFN) entram para a ilha de edição no mês de outubro e devem ganhar as telas até o final do ano.

As atrizes Gabriele Dors e Hellen Hörer Bohrer em gravação no estúdio da TV OVO. Fotos Beatriz Mazzei

Beira-Mar é uma ficção com roteiro dos estudantes Denys Schmitt e Pedro Pellegrini, este último que também assina a direção. Após ter o carro avariado no meio de uma estrada deserta, uma garota vai se deparar com três pessoas que, apesar de parecerem estranhos, podem conhecê-la melhor do que ela imagina. Embora os três tenham personalidades distintas, todos eles têm um aviso em comum: a garota precisa consertar o carro e sair dali antes que o dia termine, ou sua vida estará em risco. Estrelada por Dayfer, Beira-Mar completa o elenco com Joana Fernandes e Hellen Hörer Bohrer.

O filme foi rodado na Estrada do Radar, nas proximidades da Estrada dos Imigrantes, e possui orientação criativa de professores do projeto pedagógico do curso, incluindo Hique Montanari, diretor do longa Yonlu (2017). Produzido em parceria com a Toca Audiovisual, também contou com o apoio cultural da TV OVO, Athena Livraria e Altadomo Hotel.

Gravação na Santa Marta. Foto: José Luiz Zasso

Outro filme em fase de montagem é o documentário Um oito sete, de Daiana Schneider Vieira.  O título  faz referência ao valor médio recebido por família cadastradas no Programa Bolsa Família em 2019. A produção percorreu praças e parques da cidade entrevistando pessoas acerca do tema e também registrou a história de famílias beneficiárias do programa. O curta tem orientação de Neli Mombelli e foi produzido em parceria com a TV OVO, além de contar com o apoio técnico do curso de especialização em Cinema da UFN.  “A ideia do documentário surgiu durante o mestrado em Psicologia na UFSM, onde pesquisei as representações sociais do Programa Bolsa Família”, diz Daiana. Um piloto do documentário foi produzido em um projeto de extensão na UFSM em 2016.

Equipe Te vejo em um minuto

Te vejo em um minuto, com roteiro e direção de Lúcio Hiko, que conta a história Alex e Alice, um casal que se separa na ida ao cinema. Fantasia e realidade se misturam  na busca desenfreada de Alex por Alice. No elenco estão Felipe Dutra, Young Ju, Natália Rosso e a participação especial de Joel Cambraia. A produção do filme conta com o apoio técnico do curso de especialização em Cinema da UFN e orientação de Felix Rebolledo.

Além dos filmes da Especialização em Cinema, os acadêmicos da disciplina de Cinema II do curso de Jornalismo também estão começando a produção de dois curtas de ficção que serão rodados a partir da segunda quinzena de outubro e lançados até o final do semestre.

Cena do curta Post It. Foto: Juliana Brites

É partir desta provocação que os acadêmicos de Jornalismo da Universidade Franciscana convidam para o lançamento do curta-metragem Post It. O suspense narra a vida de uma estudante universitária chamada Giovana (Dayana Ferreira). Conforme os dias vão passando, Giovana encontra post-its pela sua casa com mensagens diretas. Ela fica intrigada e desconfia de invasão domiciliar.

Produzido na disciplina de Cinema II, o curta será lançado amanhã, 29 de agosto, às 19h30min, na área de convivência do Conjunto III da instituição, integrando a programação da semana do curso de Jornalismo. Após a exibição, vai ter um debate sobre produção audiovisual no Espaço Colaborativo CoArq,no hall do prédio 14.

A equipe de dez acadêmicos esteve envolvida desde a pré-produção (desenvolvimento do argumento, roteiro técnico e literário), produção (gravação) e pós-produção (divulgação e lançamento) do curta. Em todas as etapas, eles puderam conhecer mais sobre como é a produção de um filme, além de desenvolver novas habilidades em relação ao cinema. “Foi uma experiência nova e inesquecível. Eu sempre fui apaixonada por cinema e fazer parte da produção do curta e ainda poder dirigir ele me fizeram ter a certeza de que é isso que eu quero pro resto da vida”, comenta a diretora de Post It, Ana Luísa Trevisan, aluna do curso de Design de Moda que faz a disciplina como optativa no curso de Jornalismo. Para Estela Biscaino, roteirista do filme e acadêmica de Jornalismo, a história surgiu de forma rápida, pois suspense é o gênero que mais lhe atrai, já que possui bagagem de leituras e conhecimentos sobre o tema. Para Valéria Auzani, acadêmica de Jornalismo e diretora de arte, produzir um curta-metragem foi uma experiência diferente: “Foi empolgante estar nos bastidores da produção, planejar os figurinos e os cenários baseado na fotografia e paleta de cores”.

As gravações foram realizadas em três dias durante o mês de julho e, além dos acadêmicos, envolveram 4 atrizes no elenco: Dayana Ferreira, Carolina Borin, Marta Helena Canabarro Ketz e Maria Elizabeth Marchi. A direção de fotografia é assinada por Alexsandro Predollo e o curta teve orientação das professoras Neli Mombelli e Kytta Tonetto. Ainda, na equipe estão Bibiana Rigão, Eduardo Schneider, Giulimar Machado, Juliana Brittes, Juliana Faria, Lucas Seixas e Mariana Olhaberriet.

Assista ao teaser do curta Post It:

O curta-metragem é um suspense chamado Post-It. Foto: Mariana Olhaberriet/LABFEM

Já é tradição. Todos os anos, na disciplina de Cinema II, os acadêmicos do curso de Jornalismo da Universidade Franciscana produzem um curta-metragem. As gravações deste semestre começaram no último sábado, dia 29. No início do semestre, cada um dos alunos escreveu um argumento, ou seja, um pré-roteiro de uma história que foi apresentado para uma banca. Entre eles, o roteiro vencedor para a execução foi o Post-It, escrito pela acadêmica Estela Biscaino. O curta está sendo dirigido pela estudante de Design de Moda, Ana Luísa Trevisan, matriculada na disciplina.

A história é um suspense que conta sobre a vida de Giovana, uma estudante universitária que mora sozinha e começa a encontrar post-its com frases suspeitas e ameaçadoras em sua casa. Intrigada, a personagem desconfia de invasão domiciliar, enquanto sua saúde mental desmorona. Estão previstos três dias de gravação e a equipe conta com dez pessoas com funções distribuídas entre produção, direção de arte, montagem, microfonia, fotografia still, redes sociais e continuidade. No elenco estão Daiana Ferreira, Carolina Borin e Glaíse Palma. A direção fotográfica é de Alexandro Pedrollo, sob orientação das professoras Neli Mombelli e Maria Cristina Tonetto. A estreia do curta-metragem ainda não tem data prevista.

Gravações do curta metragem. Foto: Denzel Valiente/LABFEM

Blackout é mais um curta metragem que está sendo produzido pelos alunos do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Franciscana. Com roteiro escrito pelas acadêmicas Thais Trindade, Júlia Medeiros e Gabrielle Simon, o curta faz parte de um projeto das disciplinas Redação Publicitária para audiovisual e Produção Audiovisual.

A história se passa em uma atmosfera de investigação e suspense que acontece em um mundo paralelo. Dois policiais, Martina e Daniel investigam a morte de Thalia. Durante o inquérito, Mateus, irmão de Thalia é morto. Eles, então, descobrem que estão investigando seus próprios assassinatos, e que Thalia e Mateus são suas representações no mundo paralelo e atemporal.

As tomadas estão sendo feitas nas dependências dos cursos de Comunicação da UFN e, após ser gravado, o curta metragem terá seu lançamento no Vaca Profana, em data ainda não definida.

 

A TV OVO tem um novo projeto: a gravação do curta Rock do K7. Neste trabalho atores e atrizes terão oportunidade de atuação.

O seriado abordará a cena musical de Santa Maria dos anos 1980. De um lado, documental, estarão depoimentos de bandas da época de diferentes cidades interioranas do Rio Grande do Sul. Do outro lado, ficcional, será narrada a história de um garoto conectado à internet que, ao entrar em contato com as fitas K7 da década de 1980 de seu tio, faz uma compilação das músicas das fitas com o que já está disponível na rede e passa a compartilhar o material.

Para a atuação, são necessários quatro atores/atrizes e não é necessário ter experiência na área. Os interessados nos papeis têm oportunidade de fazer o teste de elenco no dia 28 de novembro das 16h às 21h na sede da TV OVO (R. Floriano Peixoto, 267).

Abaixo, os pré-requisitos solicitados pela TV OVO para ser um ator/atriz do curta, conforme cada um dos personagens:

  1. Um(a) adolescente para o papel de Vini ou Fran, que represente entre 14 e 16 anos de idade. O(a) personagem é introspectivo(a), inteligente, discreta(o), vive conectado(a), sempre está com fone de ouvido e ouve diversos tipos de música.
  2. Um(a) adolescente para o papel de amigo(a) de Vini ou Fran, que represente entre 14 e 16 anos de idade. O(a) personagem é comunicativo(a), vive conectado(a), não é muito estudioso(a) e está sempre trocando mensagens com Vini/Fran, seu/sua melhor amigo(a).
  3. Um homem para o papel de Luiz, que represente entre 40 e 45 anos. Luiz é um advogado, comunicativo e que tem um estilo de se vestir mais formal. É pai de Vini/Fran.
  4. Um homem para o papel de Pedro, que represente entre 50 e 55 anos. Pedro é irmão de Luiz e tio de Vini/Fran. É funcionário público, usa tênis, camisetas e jaquetas de grandes bandas de rock, um estilo mais desleixado. É expansivo, cheio de histórias para contar, grande conhecedor da cena rock santa-mariense.

As inscrições para fazer parte do elenco do curta podem ser realizadas até o dia 27 de novembro através do envio de e-mail para tvovo@tvovo.org. O e-mail deve conter: nome completo, idade, se possui experiência e fotografia. Após, será realizado por e-mail, agendamento de horário para a realização do teste.